Presidente brasileiro diz que morrer é ‘destino de todos’, com picos de mortes por coronavírus

O presidente brasileiro disse que morrer é “o destino de todos”, já que o número de mortes por coronavírus no país ultrapassou o da Itália, tornando-o o terceiro país mais atingido pela pandemia global depois dos Estados Unidos e do Reino Unido.

O Brasil registrou na quarta-feira o maior número de mortes relacionadas ao COVID-19 em um único dia, de acordo com dados do ministério da saúde do país. As 1.349 novas mortes superaram o recorde anterior de 1.262 mortes, ocorridas no dia anterior.

Os números mais recentes elevam o número total de mortes para 34.021, atrás apenas dos EUA e do Reino Unido. Houve também outros 30.925 novos casos registrados nas últimas 24 horas, elevando o total para 614.941, atrás apenas dos EUA.

“Sentimos muito por todos os mortos, mas esse é o destino de todos”, disse o presidente Jair Bolsonaro.

O líder brasileiro subestimou repetidamente o coronavírus e o chamou anteriormente de “um pouco de gripe”.

Apesar do grande aumento nos casos, várias empresas e instalações não essenciais reabriram na terça-feira pela primeira vez em meses nas principais cidades como Rio de Janeiro e São Paulo, onde houve 8.561 mortes por coronavírus.

Na sexta-feira, concessionárias e escritórios de automóveis reabriram enquanto o prefeito do Rio de Janiero anunciava que os 14.000 vendedores ambulantes da cidade também poderiam voltar ao trabalho, de acordo com a Bloomberg News.

Com os números continuando a subir, tem sido levantada a preocupação de que a pandemia possa começar a chegar a partes do país com sistemas de saúde mais fracos, como o interior atingido pela pobreza no nordeste do país.

O COVID-19 também se espalhou ainda mais pelos territórios indígenas, onde a temporada de inverno que se aproxima pode exacerbar o surto que se espalha rapidamente.

By JESSICA SCHLADEBECK

Font: https://www.nydailynews.com/coronavirus/ny-coronavirus-brazil-death-toll-surges-past-italy-20200605-otkqq3jsyrhflkhgy5brqaiqzm-story.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *